qual a importância de calcular o lucro operacional

Fluxo de caixa para comércio atacadista: como estruturar corretamente

Cuidar da gestão financeira de um comércio atacadista começa pelo controle de fluxo de caixa. Isso porque falhas e interferências do mercado podem acabar comprometendo a saúde financeira de um negócio.

Se você deseja evitar riscos para a área financeira do seu comércio atacadista, continue a sua leitura! 

Aprenda como estruturar corretamente o fluxo de caixa para comércio atacadista. Vamos lá?

O que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é um instrumento valioso para quem deseja acompanhar de perto o controle do setor financeiro do comércio atacadista. Isso porque esse mecanismo permite verificar as entradas e saídas realizadas em um dado período.

A análise do fluxo de caixa só pode ser concretizada quando o gestor reúne dados de todas as suas transações financeiras. De modo geral, empresários usam relatórios gerenciais para analisar essas informações.

É a partir disso que o comerciante consegue ter uma visão ampliada acerca do andamento das suas finanças. Além disso, é possível também avaliar a oscilação do capital de giro em um período específico, podendo identificar padrões de sazonalidade.

Essas informações são importantes por possibilitar compreender a real situação de um comércio atacadista, isto é, se o negócio está de fato gerando lucro. Desta forma, o empresário consegue ter o controle e tomar decisões em caso de saldo negativo.

Do mesmo modo, caso a situação financeira seja positiva, o gestor eficiente consegue identificar se é o momento de usar os recursos financeiros disponíveis para fazer investimentos ou se é ideal criar um fundo de reserva.

Tudo isso serve para criar um crescimento saudável do comércio atacadista e para aprimorar sua saúde financeira. 

Nesse contexto, saiba a importância de implementar um controle de fluxo de caixa no seu comércio atacadista. Vamos lá?

Por que implementar o fluxo de caixa para comércio atacadista?

O controle do fluxo de caixa para comércio atacadista é justamente a ferramenta que oferece a um gestor uma visão mais ampla e detalhada sobre a saúde financeira da sua empresa.

Trata-se de uma estratégia assertiva para avaliar e planejar a aplicação de medidas conscientes quando o assunto é a gestão de despesas e receitas.

Esse mecanismo é importante para saber como reduzir custos sem prejudicar a lucratividade e a qualidade dos produtos de uma loja, já que identifica exatamente quais são os gastos essenciais e quais são dispensáveis.

Além disso, uma gestão eficiente do fluxo de caixa permite analisar as situações ideais para investir em melhorias, negociar prazos com fornecedores e identificar possíveis baixas no orçamento. Existem formas diferentes de se fazer o controle do capital de giro, porém. Saiba mais a seguir:

Principais tipos de fluxo de caixa para empresas do comércio atacadista

Agora que você já conhece o conceito de fluxo de caixa, saiba mais sobre as diferentes maneiras de gerenciá-lo, especialmente para empresas do comércio atacadista! Vamos lá?

Fluxo de caixa livre

O fluxo de caixa livre é ideal para pequenos e médios comércios atacadistas, por ser fácil de operar e gerir. 

Esse modelo de fluxo de caixa representa o faturamento obtido pela empresa, após terem sido descontadas as despesas. Nesse cenário, com base no resultado é que será feita a distribuição dos lucros entre os sócios.

Esse mecanismo de gestão é ótimo para avaliar o desempenho financeiro da empresa como um todo, já que permite visualizar o lucro de forma simples. 

Mas, afinal, qual é a repercussão de resultados negativos nesse tipo de gestão de fluxo de caixa? Índices desse tipo podem apontar que a situação financeira do comércio atacadista está em risco e precisa de cuidados.

Fluxo de caixa descontado

O fluxo de caixa descontado é pouco utilizado por pequenas e médias empresas, mas mais popular em empresas de maior porte. Trata-se de um mecanismo ideal para verificar a rentabilidade de investimentos, o valor de ativos e de um comércio atacadista como um todo. 

Esse cálculo é feito a partir da projeção do fluxo de caixa. Nele, desconta-se uma quantia referente a uma taxa: o Custo Médio Ponderado de Capital, CMPC, que é um coeficiente bastante utilizado por gestores.

Nesse contexto, o CMPC é usado para diagnosticar se o investimento é viável ou não, além de ser importante para o cálculo de Valuation de uma empresa.

Agora que você já conhece os dois principais tipos de fluxo de caixa para o comércio atacadista, é hora de aprender quais os benefícios desse recurso de gestão! Confira a seguir:

Acompanhe também: Como precificar produtos: entenda como fazer a correta precificação em seu supermercado

Benefícios do fluxo de caixa para comércio atacadista

Controlar o fluxo de caixa para comércio atacadista significa poder identificar com maior precisão a situação financeira do negócio.

A partir desse tipo de gerenciamento, você consegue avaliar os pagamentos e recebimentos do seu comércio e identificar o seu ponto de equilíbrio financeiro, que o valor de faturamento que você precisa ter para não estar em situação deficitária e para manter seu capital de giro. 

Nesse sentido, o capital de giro é o valor que o comércio atacadista precisa preservar em caixa para manter as contas, custos e despesas regulares em dia, projetando uma margem de “conforto” para um determinado período de tempo.

A gestão de fluxo de caixa é justamente o monitoramento desse capital de giro, com foco na elaboração de relatórios e na manutenção da saúde financeira. Trata-se de um valor destinado a manter suas contas em dia, ainda que sua empresa esteja passando por uma crise financeira, por exemplo.

Veja os benefícios dessa importante ferramenta gerencial:

  • Aperfeiçoa a gestão de gastos e investimentos;
  • Permite identificar se a quantia de capital obtido está dentro das metas definidas;
  • Possibilita que o gestor mantenha as contas em dia, evitando dívidas e atrasos;
  • Torna viável a criação de relatórios permitindo projetar ações e gastos futuros em um comércio atacadista.

Após conhecer os benefícios descubra como funciona o método para estruturar o fluxo de caixa corretamente.

Faça da sua contabilidade um setor estratégico com a ajuda da MF! Entre em contato e conheça nossas soluções!

Como estruturar o fluxo de caixa corretamente?

A estruturação correta do fluxo de caixa perpassa por algumas ações básicas essenciais. O intuito principal dessas medidas é aumentar a eficiência do controle financeiro do seu comércio atacadista.

Descubra o que fazer para estruturar corretamente essa planilha de controle financeiro no seu negócio. Acompanhe!

1-Gerir os registros

A gestão eficiente de registros é necessária para quem deseja potencializar as finanças. Portanto, mantenha os registros do seu comércio organizados. Elenque tudo aquilo que você precisa pagar ou receber. Inclua na sua lista itens como:

  • Pagamento de fornecedores;
  • Gastos com manutenção;
  • Investimentos;
  • Folha salarial;
  • Vendas;
  • Materiais;
  • Juros e taxas.

É justamente nesse momento que o gestor precisa da ajuda de quem entende do assunto. O suporte de um contador profissional pode ser o diferencial de que você precisa para controlar de forma assertiva o seu fluxo de caixa.

2-Mantenha uma periodicidade de registros

O controle do fluxo de caixa depende de diversas tarefas periódicas, o que inclui o registro disciplinado de todas as transações. 

Assim, o gestor pode identificar com mais clareza e segurança a situação financeira do seu negócio, sem ter uma falsa impressão de resultados positivos ou negativos, o que pode acontecer caso haja a omissão de transações significativas. 

Esse controle periódico é imprescindível para quem quer identificar possíveis erros ou problemas e agir com assertividade!

3-Crie relatórios

Ter os números do fluxo de caixa em mãos é uma obrigação de todo gestor de comércio atacadista. Isso porque a emissão de relatórios permite diagnosticar com mais facilidade o desempenho da empresa e o impacto de cada ação estratégica.

É a partir disso que se define o que precisa ser mantido e o que deve ser modificado nas medidas de marketing e estratégias de venda. Isso faz com que sua área financeira e comercial sejam aprimoradas.

Afinal, quais problemas o fluxo de caixa estruturado resolve?

Se você está enfrentando um momento de dificuldade em seu comércio atacadista, conheça a seguir quais problemas a gestão do fluxo de caixa ajuda a solucionar!

Avaliação do uso de recursos financeiros no seu comércio atacadista

Um fluxo de caixa eficiente permite que um administrador financeiro avalie como foi feita a aplicação de recursos financeiros e quais as suas consequências.

Sendo assim, essa medida é ideal para quem deseja fazer um planejamento financeiro assertivo, ou seja, identificar quais são, de fato, os custos essenciais para o seu negócio, e quais são dispensáveis.

Desordem no pagamento de contas

Um fluxo de caixa bem estruturado permite projetar quais são os prazos para quitação de contas em um comércio atacadista. Ou seja, a partir dele é possível agendar pagamentos e assim assegurar que a empresa não ficará em dívida com os fornecedores, por exemplo.

Controlar o pagamento de contas evita problemas que podem comprometer a saúde financeira de um negócio, como juros e multas.

Acompanhar o ritmo de crescimento

Outro ponto a se destacar acerca do fluxo de caixa bem estruturado é que ele permite verificar o crescimento de seu atacado, tornando viável a criação e execução de um plano de finanças que contenha formas mais práticas de lidar com as demandas que surgirão no futuro.

Falta de precisão nas análises

A gestão do fluxo de caixa também contribui para ampliar sua visão acerca dos resultados e, consequentemente, é possível uma maior precisão nas análises financeiras.

Isso porque o processo de registro de movimentação financeira ajuda um gestor do setor de finanças de uma empresa a dimensionar melhor seus gastos e a pensar nos orçamentos futuros.

Principais erros na gestão do fluxo de caixa e como evitá-los

A gestão errônea do seu fluxo de caixa pode condenar um comércio atacadista a sérios problemas financeiros.

Nesse sentido, é importante conhecer os erros mais comuns na gestão financeira de um negócio, para evitar que sejam cometidos no futuro. Veja logo abaixo:

Falta de acompanhamento

Um dos erros mais recorrentes por gestores empresariais é a falta de acompanhamento. Afinal, deixar de lado a avaliação periódica dos resultados do seu comércio é o mesmo que comprometer a área financeira do seu estabelecimento.

Nesse sentido, um gestor eficiente não perde tempo e cria uma rotina periódica de acompanhamento. 

Com essas informações em mãos, o administrador financeiro analisa o que aconteceu no determinado período de tempo em que se fez o acompanhamento e realiza correções caso seja necessário. 

Lançamentos ou dados incorretos

Não lançar dados financeiros ou lançá-los de forma inadequada é colocar suas contas em risco. Jamais deixe de lançar uma venda ou compra parcelada em cada um dos meses em que ela for cobrada ou recebida, por exemplo.

Ao fazer lançamentos corretos, um gestor passa a ter uma noção incorreta do desempenho da sua empresa em termos de lucro ou prejuízo. Além disso, sem um hábito minucioso de inserir todas as transações na planilha, é difícil avaliar os números individuais de cada produto vendido no seu comércio atacadista.

Sendo assim, é fundamental inserir todas as vendas na coluna de receitas do seu fluxo de caixa na data correta, e o mesmo para cada conta paga, na coluna de despesas.

Não dividir o fluxo de caixa em categorias

Não dividir o fluxo de receitas e despesas por categorias pode comprometer o entendimento das informações.

Nesse sentido, não será possível identificar a origem e o destino de um determinado recurso financeiro. Isso é um sinal evidente de desordem na área financeira. Portanto, elenque e aponte as categorias que compõem os seus lançamentos financeiros. Dentre elas estão:

  • Custos administrativos;
  • Custos com colaboradores;
  • Custos com recursos humanos;
  • Custos na oferta de serviços. 

Somente assim, um gestor conseguirá ter ciência daquilo que está entrando e saindo, e poderá planejar cortes e investir em outras áreas, como na aprimoração de processos, por exemplo.

Dica bônus: Obtenha uma ajuda especializada para estruturar corretamente o fluxo de caixa do seu negócio

Se você ainda não sabe como estruturar corretamente o fluxo de caixa, é bom ter em mente que fazer isso no contexto de um comércio atacadista é bem complicado. Sendo assim, conte com a ajuda de quem entende do assunto!

A MF Consultoria Contábil tem experiência de mercado para tirar as suas dúvidas sobre o assunto e oferecer uma ajuda estratégica e eficiente. A nossa missão vai além da criação de relatórios financeiros, e atuamos também em prol de toda a área contábil do seu negócio.

Somos uma parceira que oferece todo o suporte necessário para interpretar e gerenciar os números, norteando sua empresa rumo a números mais positivos.

Quais são os serviços de consultoria empresarial que oferecemos?

A MF Consultoria Contábil conta com um time multifacetado, e com ampla experiência no assunto! A nossa consultoria é composta por advogados, contadores e especialistas em gestão empresarial, garantindo excelência no atendimento.

Dentre os serviços de consultoria empresarial estão:

  • Consultoria Financeira em São Paulo;
  • Auxílio para desenvolver um planejamento estratégico financeiro de ponta;
  • Suporte na elaboração de uma avaliação financeira aprofundada.

Esses passos são cruciais para verificar a saúde financeira de um comércio atacadista, e também para balizar o fluxo financeiro no intuito de nortear a adoção de medidas estratégicas! 

A MF Consultoria Contábil também realiza um serviço de conciliações bancárias, impulsionando a qualidade da gestão de caixa do seu negócio.

Conheça mais sobre as nossas soluções visitando nossas redes sociais e lendo outros conteúdos do nosso blog

Leia também: Assessoria contábil fiscal: o que é, vantagens e por que contratar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.