Quais são os encargos trabalhistas? Veja e saiba como calcular!

O cálculo dos encargos trabalhistas desperta dúvidas tanto entre trabalhadores quanto em empresas de todos os portes, que precisam adequar à sua folha de pagamento os mais diversos impostos e taxas que são de direito do empregador.

A fim de garantir os direitos trabalhistas estabelecidos no Brasil, é importante que a empresa saiba exatamente quais são e como calcular os encargos trabalhistas para seus colaboradores ganharem o que efetivamente lhes é devido.

Conheça, hoje, um pouco mais sobre o cálculo de encargos com funcionários mantenha a sua operando em uma condição de legalidade, garantindo o sucesso das suas contratações e o bem-estar dos seus colaboradores.

Encargos trabalhistas por regime de tributação

Cada tipo de regime tributário tem sua própria lógica de funcionamento e é fundamental aprender como calcular encargos trabalhistas para que, tão logo a sua empresa inicie suas atividades, já saia, de antemão, com esses recursos previstos.

Conheça, agora, os impostos e encargos que incidem sobre as suas opções tributárias e como tirar proveito dessa escolha no momento de mudar seu regime de tributação ou, até mesmo, no momento de abrir a sua empresa.

Encargos no Simples Nacional

Todas as empresas que optam pelo regime tributário do Simples Nacional estão elencadas entre pequenos e micro negócios e, portanto, têm custos trabalhistas que são proporcionais ao tamanho que essas organizações podem atingir.

As empresas enquadradas no regime do Simples Nacional são desobrigadas do pagamento do INSS patronal, SAT – Seguro de Acidente de Trabalho, salário educação e, ainda, das contribuições com o sistema S – SESI, SENAI, SEBRAE ou, ainda, o Incra.

Encargos trabalhistas por regime de tributação

Encargos no Lucro Real e Lucro Presumido

Já as empresas optantes tanto pelo Lucro Real quanto pelo Lucro Presumido contam com uma carga de impostos relacionados ao trabalho diferente daquela que o Simples Nacional determina.

Além dos encargos já citados, há também o pagamento do sistema S – SESI, SENAI, SEBRAE e Incra – e, ainda, INSS patronal, que não está contido no Simples Nacional.

Custos adicionais com funcionários mais comuns

Além dos custos acima descritos, as empresas também costumam manter alguns outros ganhos suplementares em relação ao salário dos colaboradores, como vale refeição, vale alimentação, vale transporte e planos de saúde ou ortodônticos.

Entenda como cada um deles entra no seu cálculo:

A nova lei trabalhista mudou alguns aspectos importantes das relações de trabalho que você, seja enquanto empregado, seja enquanto empregador, precisa saber:

Benefícios corporativos

Diferentemente dos tributos e encargos trabalhistas, os benefícios são regidos por um acordo mútuo entre as partes, o empregador e o empregado.

Podemos observar como benefícios corporativos:

  • Vales – refeição, alimentação ou transporte;
  • Pagamento de auxílio para manter a educação dos filhos do empregado;
  • Plano de saúde – geralmente dividido entre empregador e empregado;
  • Plano odontológico – que geralmente tem participação de ambas as partes.

Mais recentemente, o auxílio para pagamento do sinal de Internet também passou a ser uma realidade das empresas que migraram para o home office, além do fornecimento de equipamentos próprios para uso domiciliar do trabalhador.

Treinamentos e desenvolvimento

Os custos com treinamento e desenvolvimento do trabalhador não fazem parte dos encargos trabalhistas e nem vamos nos ater sobre como calcular esse tipo de benefício.

No entanto, esses custos também impactam na conta final sobre quanto um colaborador pode custar para a sua empresa e, portanto, devem ser elencados em sua planilha e cuidadosamente planejados.

Cálculo dos encargos e custo total com funcionário

Cálculo dos encargos e custo total com funcionário

Para calcular corretamente os encargos e o custo total de um colaborador, siga o passo a passo:

Para as empresas optantes pelo regime do Simples Nacional, os encargos trabalhistas são:

  • Férias: 11,11%
  • 13º Salário: 8,33%
  • FGTS: 8%
  • Multa para rescisão – FGTS: 4%
  • Previdenciário – 13º Salário, férias e DSR: 7,93%

A partir desses valores, temos como resultado um percentual de 39% sobre o salário que a empresa para ao seu colaborador.

Em um exemplo hipotético, em que o trabalhador recebe R$ 2000 como seu salário, o custo trabalhista será o de R$ 787,40 além do valor destinado ao seu salário, totalizando R$ 2787,40.

Veja, agora, como calcular encargos trabalhistas para o Lucro Real e Lucro Presumido:

  • Férias: 11,11%
  • 13º Salário: 8,33%
  • FGTS: 8%
  • Multa para rescisão – FGTS: 4%
  • Previdenciário – 13º Salário, férias e DSR: 7,93%
  • INSS: 20%
  • SAT: 3%
  • Salário Educação: 2,50%
  • Sistema S e Incra: 3%

Somado o valor de todos os tributos, temos como resultado 68,18%, que, utilizando o mesmo exemplo hipotético anterior, teremos o montante de R$ 1363,60 em impostos, totalizando em R$ 3363,60 o valor total, somando impostos e salário.

Como otimizar custos trabalhistas: Veja 3 dicas simples

Agora que já sabemos como fazer o cálculo de encargos trabalhistas, já pudemos conferir como esses valores podem impactar significativamente a rotina de uma empresa.

Veja, a seguir, como fazer com que esse custo possa ser melhor encarado pela empresa, reduzindo suas despesas ao longo do tempo:

1. Escolha do regime tributário adequado

A escolha de um regime tributário que esteja realmente alinhado com o seu faturamento é fundamental para se poder pagar de forma adequada os custos trabalhistas.

Conforme vimos, no Simples Nacional o pagamento dessas contribuições é menor que podemos observar no Lucro Real e no Lucro Presumido.

Assim, é essencial que a sua empresa só saia do Simples Nacional quando houver, de fato, superação no seu faturamento anual.

2. Modelo remuneração e incentivos bem planejados

Ter incentivos bem planejados para a sua empresa é fundamental, sobretudo no que concerne aos acessórios, como vales e planos de saúde.

Eles devem, todos, ser atrativos para que a sua empresa possa se tornar um ambiente de trabalho mais convidativo, mas podem ser, em sua medida e de acordo com previsões legais, comparticipados entre empresa e colaborador.

3. Contrate uma assessoria trabalhista e previdenciária

Ter uma assessoria trabalhista como sua parceira irá garantir o pagamento de todos os tributos e encargos que a sua empresa possa ter e gerar, contribuindo com o bem-estar dos seus colaboradores e das suas relações de trabalho.

A MF é uma Assessoria Contábil especializada na gestão da sua empresa! Conheça agora nossos serviços!

Conclusão

É fundamental para uma empresa saber como conduzir o cálculo das suas obrigações trabalhistas e de forma detalhada, a fim de garantir que haja melhor qualidade nas suas relações de trabalho.

Conhecer as demandas e encargos gerados por sua empresa é fundamental também para o seu planejamento financeiro, contribuindo com uma melhor gestão tributária e administrativa do seu negócio.

Deixe um Comentário

Contar com os serviços da MF Consultoria é ter a garantia de que sua empresa terá toda a assistência necessária.

Estamos sempre próximos, realizando reuniões mensais, detectando novos e melhores caminhos, prevenindo problemas e oferecendo soluções adequadas.

Fale com a gente

POSSO AJUDAR?